A Nova Terra e o Humano Universal

bigstock-Bright-Blue-Star-Shining-In-De-260185159_2

A Terra desperta actualmente para um novo plano de consciência. Esse ser cósmico que aceitou no seu seio uma imensidão de formas de vida, essa Mãe acolhedora que vos alimenta da sua própria substância, atingiu a derradeira fase de um longo ciclo de transformações. Ela purifica-se, eliminando tudo o que se tornou incompatível com as suas novas vibrações; ela regenera-se a um ritmo sem precedentes. As suas convulsões, frequentemente consideradas “catástrofes naturais”, são sinal de exaustão mas também de renascimento.

A humanidade desperta para uma nova percepção de si mesma e da vida na Terra. Tudo se tornou planetário; tempo e espaço parecem contrair-se. Mas o reconhecimento da dimensão planetária da vida está associado a níveis de consciência muito diferentes.

Formas cada vez mais globais de dominação procuram, desde há alguns anos, subjugar os aspectos mais subtis da existência humana. Tendo atingido o paroxismo da dissociação espiritual, essas práticas tornaram-se incompatíveis com o actual estado de consciência da Terra-Mãe. As perturbações físicas, sociais e individuais que daí resultam aceleram, por todo o planeta, o colapso de crenças e modos de vida.

Neste ambiente caótico, uma nova consciência humana emerge, alheia aos confrontos, às oposições, aos conflitos que aí grassam. Como é isso possível? Como elevar-se acima da tormenta e viver no presente o surgimento de uma consciência superior em união com a Nova Terra em gestação?

Se estiverem em sintonia com os vossos corações, unidos à alma, uma energia-Luz irradia da vossa aura e pode ser transmitida a grandes distâncias. Pelo contrário, se se opuserem vivamente a alguma coisa – com revolta, com raiva, em conflito … – a vossa energia tende a interagir com aquela que afrontam, num turbilhão de vibrações contrárias que se atraem mutuamente … E se algo diferente emergir desse turbilhão, conservará sempre a memória da oposição que esteve na sua origem. Acreditando criar algo de novo, limitaram-se afinal a reproduzir o mesmo numa outra forma.

É possível que a emoção intensa que vos impele a exacerbar um conflito esteja ligada à essência daquilo a que se opõem. Através da incarnação na Terra, todos participam do campo energético da humanidade em geral, onde se jogam as aventuras da Vida em todas as suas formas. E neste campo, no decorrer dos tempos, cada um, cada uma de vós assumiu os mais diversos papéis, nomeadamente aqueles que são hoje associados à sombra.

A sombra não se encontra nunca no exterior de vós mesmos enquanto humanos; as suas marcas estão inscritas no vosso ser individual – marcas que apelam à aceitação, à compaixão, ao amor de si. Ao transmutá-las aos diversos níveis do vosso ser, influenciam todo o campo energético da humanidade. Face a outros, ainda prisioneiros das suas sombras, a vossa Luz poderá fazer renascer a memória do Amor que esteve na origem das suas almas – das vossas almas.

A unidade no Amor não se refere a um passado ou a um futuro longínquos e inacessíveis – ela é o próprio sopro da Vida. E quando a consciência do divino em vós desperta a cada respiração, é possível reconhecê-Lo por todo o lado em diferentes estádios de eclosão. Esta consciência – o Cristo interior – reside no coração do humano universal que habitará a Nova Terra.

Mas o humano universal não é uma utopia a projectar num futuro incerto. Pelo contrário, um número crescente de humanos – vós-próprios a quem falo neste instante – incarnam já essa consciência superior e criam, no presente, laços cada vez mais estreitos com os mundos celestes. Ao apoiar-vos, enquanto criadores da vossa própria realidade, gostaria de fazer reflectir, como num espelho amplificador, as imagens que se encontram já vivas na vossa consciência.

O humano universal, emergente em cada uma, cada um de vós, sente estar em conexão estreita com a sua alma através dos corpos subtis. Ao fazerem a experiência consciente das múltiplas dimensões do vosso ser incarnado, aprofundam a comunicação com os mundos espirituais; e mesmo se a vossa frequência vibratória não vos permite romper completamente o véu, nada impede hoje a abertura do vosso canal e o acesso às energias cada vez mais elevadas que banham actualmente a Terra.

O humano universal emergente tem uma consciência muito clara da sua pertença à vida cósmica, não apenas nesta incarnação na Terra, mas também através das experiências que a sua alma escolheu viver noutras partes do Universo. Este ser – único e universal – sente-se intimamente ligado a todas as formas de vida.

O humano universal emergente sabe, no mais fundo do seu coração, que veio à Terra para manifestar a consciência Crística – essa consciência que liga tudo à matriz original, à Fonte de toda a vida. É através dessa consciência Crística que o ser humano se pode conceber como ser cósmico.

A Terra e os humanos estão intimamente ligados nas suas transformações. Todos os seres humanos podem comunicar com ela e sentir os seus corpos subtis; podem unir-se a ela, elevando as suas próprias vibrações e expandindo a sua consciência.

Estou sempre ao vosso lado como um companheiro de viagem que vos apoia e vos ama infinitamente.

Mensagem transmitida por Jeshua a Teresa
Compartilhar, mencionando a fonte
https://terapiascristicas.pt/

Association Centre Ciel, Bulletin 9, “La Nouvelle Terre”, Hiver 2020 (em Francês)

https://www.centreciel.com/bulletin?lightbox=dataItem-kiujbosl

 

partilhar

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on email
Ao continuar, estará a aceitar a nossa política de privacidade.